• EN
  • LinkedIn
  • Facebook
Você está em: Início > "ANTES, DURANTE E DEPOIS: Uma lição sobre a valorização de saberes" por Professora Doutora Cristina Mocetão

"ANTES, DURANTE E DEPOIS: Uma lição sobre a valorização de saberes" por Professora Doutora Cristina Mocetão

Artigo de Opinião

Professora Doutora Cristina Mocetão fala-nos sobre 'ANTES, DURANTE E DEPOIS: Uma lição sobre a valorização de saberes', no seu artigo de opinião publicado no semanário Vida Económica.

'O ISAG - European Business School recebeu no dia 16 de Outubro na abertura dos programas graduados e executivos, o Administrador e Presidente Executivo da GlobalDis - Distribuição Global que integra o grupo Vicaima, Francisco de Brito Evangelista que nos presenteou com uma lição de partilha sobre as atitudes e escolhas de valorização de saberes. 
Após uma breve apresentação do seu percurso profissional (Gestor com diversas funções em grupos empresariais como a Salvador Caetano, o Grupo Amorim, a Sonae Indústria, a Family Office de Manuel Champalimaud e a capital de risco ECS Capital; assumindo ainda responsabilidades em empresas nacionais e internacionais e tendo integrado, durante vários anos, a comissão executiva da Associação Portuguesa de Gestão e Engenharia Industrial) para além de uma referência às comuns hesitações em termos vocacionais, nomeadamente quando se é jovem, o orador referiu que a decisão de frequentar um curso de formação executivo ou MBA Executivo "muda a nossa vida". 

Enquanto licenciado em Psicologia a exercer funções no domínio empresarial, Francisco de Brito desabafa ter tido necessidade em adquirir outros e novos saberes por falta de preparação académica e, sobretudo, pelas exigências que a empresa (uma multinacional) solicitava. Relembra a época (início da década de 1990) em que as empresas portuguesas viviam um movimento de forte aceleração, de desafios e de crescimento, sem esquecer de referenciar que as empresas desejavam "novas competências" que não estavam presentes no mercado. 

Reconhece ainda que essa noção de que a economia portuguesa estava em profunda aceleração impulsionou a sua vontade em frequentar um curso de formação executiva visando enriquecer as suas competências. Evidencia na arquitetura de um curso de formação executiva e/ou MBA executivo um valor acrescentado ao referir um conjunto de competências necessárias e experienciadas durante o curso, a destacar: saber trabalhar bem em equipa; reconhecer a importância da noção do consenso e da gestão dos conflitos, da cumplicidade, do companheirismo, da partilha de responsabilidades, do gosto pela aprendizagem permanente; do saber analisar e tratar bem a informação, entre muitos outros aspetos. 

Considera que a diversidade das unidades curriculares que compõem os diferentes cursos formativos executivos proporciona aos (futuros) executivos uma visão holística do mundo do negócio e das empresas. Acrescenta que, no término do curso, a assimilação de toda a aprendizagem de saberes transversais constitui uma mais-valia nomeadamente na injeção de autoconfiança e responsabilidade. Para além dessas competências indispensáveis na formação de um executivo, Francisco de Brito assinala outras características relevantes face às exigências do trabalho atual como a disponibilidade, o entusiasmo e o respeito pelos seus pares e pelo meio envolvente.